Skip to main content

Ser Celebrante de Casamento é Empreendedorismo

Há muito tenho dito sobre a necessidade do profissional Celebrante de Casamento aceitar esta verdade como missão e se colocar corretamente em campo. O empreendedor celebrante é gerador de riquezas, materiais e imateriais. Quais são as mais importantes?

Nunca me ocupei em decidir sobre quão é importante o ganho, o lucro. A prosperidade que o mercado de casamentos me proporcionou ao longo desses quase 20 anos em crescimento pessoal e profissional, me eleva.

Quando olho para traz e me comparo com que fui… Vixe!!! É absurdamente exponencial a diferença. Portanto, mesmo quando o dinheiro, é pouco em meu bolso, a transformação com a qual sou pessoalmente privilegiado e o que proporciono aos meus clientes e alunos, supera qualquer matemática financeira.

Finalmente, depois desse tempo todo, olho que agora estou melhor realizado. Acaso estivesse ainda, dando aulas no Senac, trabalhando locução e apresentação em agências, rádio ou televisão, tornar-se-ia eu alguém melhor? Atuo com a maestria aprendida no teatro e acolho mais pessoas que estivesse trilhando as carreiras religiosas que me ofertaram.

Recebo e imediatamente compartilho aquilo que me eleva. Vindo dos meus professores, mentores, gurus ou mesmo quando acho extremo valor através dos meus estudos. Esse rapazinho que vou apresentar a vocês no texto abaixo, escrito por ele, é alguém que garoto aos 18 anos, decidiu iniciar a maior rede de franquias de escola de Inglês do Brasil. Hoje, internacionalmente reconhecido, ainda se ocupa de ser mentor de negócios de outros empreendedores. Há muito o acompanho e sigo seus conselhos.

Veja aqui a sumarização que nos veste celebrantes de casamento, como carapuça.

12 dicas pra quem deseja ser um empreendedor bem sucedido:

1. É preciso ter ambição (o que é diferente de ganância). Sem ambição, ou seja, uma grande fome de crescer, não conseguimos engolir por muito tempo a quantidade enorme de desafios diários no mundo dos negócios.

2. Se 70% de seu tempo não está direcionado à venda de seu produto, seja você pessoalmente ou através de uma equipe, significa que você perdeu o seu foco.

3. Não tenha medo de precificar o seu produto no topo do seu setor. Vender mais barato não é necessariamente sinônimo de vender mais. Trabalhe para conquistar um posicionamento com maior valor agregado para alcançar uma margem maior, aplicando o mesmo esforço.

4. Oriente sua gestão para o valor e não para o dividendo. Pense em como você pode modelar o seu negócio para que ele seja um forte gerador de caixa, valorizando o seu patrimônio.

5. Não economize com funcionário ruim. Ser honesto e de confiança não é o suficiente. Tenha sempre os melhores ao seu lado.

6. Em apenas uma folha de papel você deve ser capaz de reunir todos os indicadores de desempenho de sua empresa. De preferência, que todos os setores da empresa tenham claros e públicos os seus resultados estampados.

7. Reconheça os melhores. Funcionários que não cumprem metas e não entregam resultados devem ser ajudados. Não correspondendo, devem ser substituídos por colaboradores mais comprometidos e competentes.

8. A melhor maneira de sua empresa cumprir o seu papel social é tendo sucesso. Empresas que fracassam e quebram deixam muitos desempregados. Logo, o seu sucesso tem função social.

9. Investir em pesquisa e desenvolvimento vale a pena.

10. Celebre as vitórias e exponha para sua equipe os casos de sucessos que sua empresa tem conquistado. Evidencie profissionais que atingiram bons resultados e dê a eles espaço para compartilharem suas experiências.

11. Preencha a agenda de sua empresa com bons exemplos e bons resultados, ocupando todo espaço costumeiramente ocupado com as notícias nojentas do cenário político do país. A cada conquista, repita a frase: “estamos crescendo na crise, porque aqui, decidimos não participar dela.”

12. Trabalhe bastante. Isso é o normal. Empreendedor que chega às 10:30, sai pra almoçar às 12:00h, volta às 15:00 e sai às 18:00h já pode ser considerado um morto-vivo que só falta ser enterrado.
70% dos empregos gerados no Brasil têm origem nas micro e pequenas empresas. Não são as multinacionais e governo os principais empregadores do Brasil.

Você, pequeno empreendedor, homens e mulheres corajosos que sonham com um futuro melhor são os grandes heróis nacionais.

Sua coragem, ambição e vontade de trabalhar é que constrói o país, mesmo em meio a tantos desafios causados pelos burocratas que, além de não produzirem nada, atrapalham.

Eu apoio o empreendedorismo porque o Brasil precisa de mais empreendedores. Sem eles, o emprego cai, a arrecadação cai e o país empobrece.

Escrito por Flávio Augusto

Enfim…

Posso eu dar acréscimo de apenas mais uma dica a você:

Entre em campo, jogue o jogo, empreenda. Coloque em prática o que aprende sendo diligente. Seguindo o modelo certo, praticando o método comprovado, ouvindo quem tem a coerência de viver aquilo que prega.